NOVIDADES

8 SINTOMAS QUE PROVAM QUE A SUA EMPRESA ESTÁ EM CRISE
16 de November de 2016
Mercado Emergente

8 SINTOMAS QUE PROVAM QUE A SUA EMPRESA ESTÁ EM CRISE

Crise é uma palavra assustadora que frequentemente deixa até os mais experientes empresários com receio. Em um momento de instabilidade econômica e política como o que vivemos, raro é aquela empresa que continua a operar com segurança, sem que sua receita seja atingida pelas tribulações do mercado. 

 Se você também é um empreendedor mas não tem certeza se o seu negócio está em crise, preparamos um guia rápido com 8 Sintomas Que Provam Que Sua Empresa está Em Crise e o que fazer para escapar dela!

 MAS, O QUE É CRISE?

 Em termos resumidos, crise é aquela situação em que o valor dos seus ativos financeiros despencam, sem previsão de recuperação rápida. Elas variam em grau de intensidade e podem ser pouco mais do que um incômodo, até grandes catástrofes capazes de transformar a economia mundial, como a Quebra da Bolsa de Valores de 1929 e a mais recente - e devastadora - Crise Econômica de 2008.

 Quando uma empresa enfrenta um problema prolongado, geralmente há indícios de má administração por trás da situ-ação. No entanto, várias empre-sas passando por problemas ao mesmo tempo pode ser tam-bém um sintoma específico de que o mercado está para en-trar em recessão. Esse tipo de crise é o mais perigoso e exige cautela até de quem não é da área, uma vez um problema causado no Ponto A pode facil-mente gerar um efeito dominó que irá influenciar os negócios gerados no Ponto Z.

 No entanto, o que a maioria de nós considera como um grande infortúnio, empreendedores visionários enxergam mesmo é como uma oportunidade de ganhar dinheiro. Foi assim na Crise de 2008, a maior da his-tória. Enquanto empresas fa-liam, bancos quebravam e pes-soas se desesperavam, John Paulson, um corretor de Wall Street, faturou nada menos que 4 bilhões de dólares!

 É como diz o velho ditado: enquanto uns choram, outros vendem lenços.

 Uma empresa saudável é uma empresa que gera lucro, pas-sado o período de retorno de investimento de capital. Se a sua em-presa não está conseguindo se manter no azul, grandes são as chances de que ela possa estar enfrentando uma crise.

 Para te ajudar nesse diagnóstico, identificamos 8 sintomas que indicam que sinais de problemas no seu negócio:

Sintoma 1 - Não tenho lucro

 A primeira coisa que você precisa saber é que a grande maioria das empresas demora meses e até anos para gerar lucro. Isso não é um sinal de fracasso, mas sim de que a sua empresa ainda não atingiu o ponto de equilíbrio neces-sário para garantir o retorno do investimento e em seguida o lucro.

 A segunda coisa é a diferença entre faturamento e lucro. En-quanto o faturamento corres-ponde a todas as receitas arre-cadadas durante determinado período, o lucro é calculado subtraindo todas as despesas do faturamento obtido - Lucro Bruto. Quando tiramos todos os impostos e taxas, ele passa a se chamar Lucro Líquido.

Agora você pode usar o seu DRE - Demonstrativo de Resul-tado do Exercício para conhe-cer um pouco mais do progres-so da sua empresa.

 Se a sua empresa ainda não gera lucro, mas tem um bom fluxo de caixa e apresenta cres-cimento, não se preocupe: ela não está em crise. Tenha pa-ciência e disciplina para fazer o seu negócio crescer.

Se, contudo, você já obteve o retorno do seu capital ou se deixou de ter lucro por algum motivo, é sinal de que as coisa não andam bem para o seu empreendimento.

A solução:

Tenha paciência e diligência para fazer o seu negócio crescer. Uma empresa especialista em contabilidade também irá te ajudar a conhecer os seus números, através de uma coleta e análise de dados financeiros. São informações essenciais que todo administrador precisa ter antes de tomar decisões.

 Sintoma 2 - Minhas vendas caíram!

 Esse é o sintoma mais comum de que sua empresa está com problemas. A verdade é que uma queda nas vendas pode acontecer por vários motivos, como por exemplo um reflexo do trabalho da concorrência, variação no preço final do produto, vendedores mal capacitados, o surgimento de um produto similar ao seu, etc.

 No entanto, se não houve qual-quer mudança nos últimos tempos que justifique tal apuro, a situação pode ser sim encarada como uma crise e providências precisam ser tomadas para que o problema não se agrave ainda mais.

 A solução:

s estratégias mais comuns para se enfrentar esse tipo de situação é a-postar em promoções, vendas casa-das (upsell e downsell) e vendas à prazo - ou seja, criar condições ainda mais atrativas para que o cliente adquira o seu produto. No entanto, faça os cálculos corretamente para que tais ações emergenciais não comprometam o seu fluxo de caixa, uma vez que ele é essencial para manter a sua em-presa saudável.

 Outro ponto importante a se considerar é a qualidade dos seus clientes. Quando promovemos um pro-duto, muitas vezes pensamos em termos quantidade em vez da  qualidade dos seus leads. Por exemplo: “eu quero que o máximo de pessoas possíveis conheçam o meu produto”. Entretanto, uma estratégia direcionada à poucas pessoas com um grande potencial de compras tem uma maior probabilidade de gerar bons resultados.

 Portanto, se as suas vendas caíram, em vez de buscar mais clientes tente descobrir como converter as vendas daqueles poucos que ainda demonstram interesse no seu produto. Pode ser algo tão simples quanto oferecer um brinde, um cupom de desconto ou mesmo um atendimento impecável. 

Sintoma 3 - Meus clientes sumiram!

 Existem dois cenários aqui: o primeiro é a falta de leads, que é como chamamos a pessoa que se interessou pelo seu produto mas que ainda não concretizou a compra de fato; o segundo é o cliente em si, que já compra regularmente o seu produto.

No primeiro caso, a falta de leads geralmente está associada à uma má estratégia de marketing, que pode acontecer tanto na internet (redes sociais, blogs, motores de buscas, etc) quando em mídias offline (revistas, jornais, rádio, televisão, panfletos, etc).

É possível que você não esteja apresentando o seu produto de forma atraente, que exista uma baixa procura por esse bem ou serviço atualmente ou ainda, que as pessoas sequer conheçam a sua empresa e o seu produto.

Por outro lado, quando é o seu fiel cliente que desaparece, o problema pode ser ainda mais sério já que isso pode apontar para uma baixa na qualidade do seu produto ou no atendimento.

A experiência de compra que cada cliente vivência agrega muito mais valor a nosso pro-duto ou serviço do que somos capazes de imaginar.

A solução:

Não cometa o erro de deixar de investir em marketing na hora da crise. Já dizia o grande guru Peter Drucker que as áreas de Pesquisa & Desenvolvimento (Innovation) e Marketing são as mais importantes dentro de uma empresa, já que são as únicas a contribuírem para gerar lucro enquanto as outras apenas geram despesas. 

Existem duas perguntas essenciais que um bom empreendedor precisa se fazer antes de começar a criar sua estratégia de marketing: Quem é o meu cliente? O que o meu cliente quer?

Uma vez que você descubra quem é o seu cliente em potencial, o seu futuro lead, fica mais fácil descobrir qual o tipo de mídia (on ou offline) é o mais indicado para você. Por outro lado, o que seu cliente em potencial quer raramente está associado com a realidade física. O cliente da Apple não quer um iphone 6 e sim experimentar todo o mix de tecnologia, alta performance, inovação e luxo associadas à marca. Por sua vez, quem compra uma viagem está na verdade comprando memórias de conforto, tranquilidade, diversão e euforia que normalmente associamos à nossas férias dos sonhos. Descubra qual a necessidade emocional do seu cliente e você nunca mais precisará se esforçar para fazer uma venda.

Agora, se você está perdendo clientes que costumavam ser fiéis, vale mesmo é ter boa conversa para descobrir se foi uma má experiência que os afastaram, se há algum novo concorrente no mercado ou até mesmo se esses clientes não estão enfrentando suas próprias crises financeiras.

VOCÊ SABE QUAIS SÃO OS 3 SETORES DA ECONOMIA QUE ESCA-PARAM DA CRISE NO BRASIL?

 

1 - tecnologoa

2 - saúde

3 - educação

 

Sintoma 4 - Minhas despesas aumentaram!

O crescimento do custo de um produto, independente do motivo, implica em um aumento no preço final dele. Esse tipo de mudança pode ser o indício de uma crise quando a margem com a qual a empresa opera não é ca-paz de cobrir todas as despesas e ainda gerar receita.

Se você notou que os insumos que você precisa aumentaram de preço, estão escassos ou ainda o governo mexeu na tributação que você paga, é hora de avaliar se o preço que você está cobrando pelo seu artigo ou serviço é o suficiente para não deixar a sua empresa no vermelho.

A solução:

A melhor solução aqui ainda é negociar com seu fornecedor por preços melhores. Enxugue os custos o máximo possível!

Sintoma 5 - Estou operando no vermelho!

Estar no vermelho significa basicamente estar endividado. Cuidado ou a situação vai virar uma bola de neve.

A solução:

 A principal dica é entrar em contato com seus credores para negociar a sua dívida. Com um pouco de sorte - e lábia -  é possível conseguir um bom desconto ou uma extensão no prazo de pagamento.

O segundo passo mais importante é fazer um planejamento financeiro e contábil de como irá quitar esses débitos. Lembre-se que é muito importante ter um bom fluxo de caixa para a saúde da sua empresa.

Por último, considere buscar a ajuda de um especialista em gestão financeira e contábil para aprender como equilibrar suas finanças e não come-ter os mesmos erros novamente.

Sintoma 6 - Pedi empréstimo no banco!

Contrair um empréstimo para quitar dívidas raramente é uma boa idéia e frequente-mente pode fazer com que o problema só aumente caso o empresário não seja capaz de honrar com o pagamento das parcelas. Como muitas vezes os bens da empresa entram como garantia, o risco de não ser ca-paz de se recuperar financeira-mente é muito grande - especialmente se não há como prever quando a crise econômica vai acabar. 

A solução:

 Se organizar financeiramente para não atrasar os pagamentos. Se necessário, é possível contratar um segundo empréstimo com uma instituição financeira que cobre juros mais baratos.

Segundo o SPC-Serasa, o setor da economia mais endividado é o de Serviços, particularmente na região Nordeste. O Comércio ocupa o segundo lugar no ranking

Sintoma 7 - Demiti dois ou mais funcionários!

 Manter uma boa equipe de colaboradores, capacitados e satisfeitos com o trabalho que realizam não é tarefa fácil.

De fato, o Índice de Rotatividade de uma empresa é uma das principais preocupações dos administradores, já que a saída e a contratação de funcionários acarreta diversos gastos monetários, além do custo associado à capacitação, perda de eficiência, atmosfera carregada, etc.

Basicamente, existem duas razões justificáveis para se demitir  um funcionário: desempenho ruim ou comportamento inadequado.

Se, entretanto, você demitiu dois ou mais funcionários nos últimos meses por motivo de redução de custos… Bom, a sua empresa certamente está em crise. 

A solução:

Agora a melhor solução possível é aproveitar para colocar as finanças em ordem e assim que possível, contratar mão-de-obra qualificada novamente.

Sintoma 8 - Minha empresa não cresce!

Para algumas pessoas, o auge do sucesso de uma em-presa é quando ela consegue gerar lucro e, quem sabe, até abrir uma filial ou duas. Mas, a verdade é que existem outras métricas tão importantes quanto essas que merecem ser leva-das em conta na hora de avaliar o quanto a sua empresa tem crescido.

  1. Você é capaz de fidelizar o seu cliente? 
  2. Comprar o seu produto é sinônimo de uma experiência satisfatória?
  3. Ele compraria novamente e indicaria a sua marca?
  4. Meu processo é eficiente ou precisa melhorar?
  5. O que posso fazer para evitar desperdícios?
  6. E para otimizar o meu tempo e dos meus funcionários?

Não importa qual métrica você utilize, o essencial é que sua empresa esteja funcionando com a maior eficácia possível e que você seja capaz de replicar o processo - caso contrário, é melhor pôr a casa em ordem primeiro antes de começar a sonhar alto.

A solução:

5 Dicas Rápidas Para Fazer Sua Empresa Crescer

1 - Invista em Marketing

Ter uma estratégia de marketing eficiente é essencial para que você consiga alcançar o seu cliente, promover a sua marca e ainda descobrir as tendências que andam rolando na sua área.

2 - Ajuste o Precesso

Descubra o que funciona e o que não funciona na sua empresa e tome as providências necessárias para garantir a maior eficiência possível. Se necessário, não tenha medo de terceirizar alguns processos!

3 - Planeje suas Finanças

Programe seus gastos, evite tentações, reduza os seus custos e principalmente, mantenha o seu fluxo de caixa saudável.

4 - Aposte no Humano

Invista nos seus colaboradores, invista em uma visão humanizada da sua missão e valores e invista especialmente em causas sociais que desperte a empatia das pessoas - você nunca sabe quando alguém irá compartilhar alguma história sobre a sua marca na internet.

5 - Aprenda a Diversificar

Já dizia minha avó, colocar todos os ovos em uma única cesta é furada. Aposte em uma boa variedade de produtos complementares entre si.

Duvidas? relacionamento@brapartner.com.br

Saiba como a Brapartner

pode ajudar sua empresa.